Frete grátis acima de R$299 🚀

Afinal, o que são Doshas?

novembro 27, 2020

Por Olívia Nicoletti, jornalista e escritora

Vamos começar por partes! De acordo com a  Ayurveda, ciência milenar que estuda a vida, tudo o que existe no universo (inclusive os seres humanos) é composto por cinco elementos. São eles: terra, água, fogo, ar e éter (ou espaço). Cada um dos elementos se relaciona com funções diferentes do nosso corpo (lembra do Agni digestivo? Super elemento fogo, por exemplo) e nossa constituição física também é consequência dessa combinação. As combinações diferentes desses elementos são conhecidas como Dosha. Existem três deles: Vata, Pitta e Kapha e cada um tem suas características próprias. Nós somos uma combinação dos três, sendo que, como todos os seres vivos, estamos sempre em transformação. É importante lembrar que cada ser humano não é um Dosha, mas, que os Doshas estão presentes nos seres humanos em maior ou menor proporção. Entendido até aqui? 

Continuando… Conhecer o seu corpo, o seu momento atual e quais Doshas podem estar mais presentes na sua vida pode ajudar – e muito! – a tratar desequilíbrios diversos.

Para isso, vamos falar sobre cada Dosha. Vamos lá?

VATA

Sabe aquela sua amiga que fala a mil por hora? Ou está sempre com a cabeça na lua, pulando de uma ideia pra outra? Entendendo o Dosha Vata ela pode se sentir mais equilibrada. Para a Ayurveda, a combinação de éter e ar, que compõem o Vata, é responsável por tudo o que está relacionado a leveza e movimento no nosso corpo e fora dele.

Para o equilibrar, basta pensar o seguinte: se Vata é um mix de ar (seco, frio, ágil) e éter (leve, sutil e expansivo), devemos buscar o oposto disso na alimentação para balancear corpo e mente.

Alimentos mais densos, como abóbora, batata doce, abacate e leguminosas, por exemplo, devem ser consumidos por pessoas que possuem o Vata dominante. Este “peso” na medida certa tem o poder de acalmar o sistema nervoso. Vale aplicar a dica em todas as categorias de alimentos – a espinafre é mais densa que a alface, certo?

A consistência dos alimentos deve ser cremosa e hidratada (com água e óleos naturais). Pastas, cremes e sopas entram aqui. Homus, batata amassada com azeite ou sopa de lentilha são bons exemplos.

Na hora de temperar, opte por especiarias como noz moscada, canela e cúrcuma, que têm forte conexão com a terra e vão ajudar a baixar a energia dispersa – alô, Golden Mix. As ervas digestivas, como boldo, também são fundamentais nestes momentos, já que o Agni (fogo digestivo) desse tipo costuma estar bem debilitado.

Os sabores devem ser salgado, azedo e doce natural (o açúcar refinado ou em produtos industrializados causa o efeito contrário).

Tudo isso deve ser consumido em temperatura quente ou, pelo menos, ambiente para equilibrar o frio dos dois elementos de Vata e garantir um Agni ativo.

Vale reforçar mais uma vez que os Doshas não são perfis fixos: se você está com dificuldade de se concentrar, muito agitada ou simplesmente estressada, pode ser a hora de tratar um desequilíbrio de VATA, mesmo que sua constituição não seja a clássica deste perfil (magra, ossos finos e pele mais seca, por exemplo).

KAPHA

Sabe quando você sente o corpo pesado e não tem forças para nada? Ou com a mente estagnada, comendo mais do que o normal e pensando em dormir por horas? Essa tendência tem nome e sobrenome pra Ayurveda: desequilíbrio de Kapha.

Kapha é bem diferente de Vata: responsável por estrutura física e mental e criação dos tecidos do corpo, é o Dosha que mais sofre com o estilo de vida sedentário, com alto consumo de açúcar, gordura e industrializados. Se você sente que ganha peso mais fácil e rápido que outras pessoas, é pra ele que você deve olhar.

Quando Kapha é predominante no seu Prakriti (composição de Doshas no momento do nascimento), a estrutura óssea, muscular e de tecidos em geral é mais robusta. Por isso, deve-se dar atenção ao movimento, estímulos e limpeza de dentro pra fora. Inclusive jejuns prolongados podem ser bons – sempre feitos com orientação, ok?

Na prática, se Kapha é um misto de dois elementos pesados e nada sutis, o que a gente precisa é de leveza. Portanto, vale consumir folhas, ervas e vegetais com menor quantidade de carboidratos, como abobrinha, que é mais leve que a batata, por exemplo. Os temperos, em geral, ajudam Kapha, exceto o sal. Água com gengibre seco ao longo do dia e misturas com pimenta e cúrcuma podem intensificar a queima de gordura.

Dica: café fraquinho, amargo e sem exageros pode ser um bom aliado.

Mas, as estrelas mesmo para esse Dosha são as sementes. Com uma carga de energia fortíssima, tem o elemento ar bem presente, que é importante para sutilizar em todos os sentidos.

A textura sequinha deve ser priorizada, uma vez que, com o elemento água muito presente, secar é fundamental. Um jeito fácil de adaptar preparações é escolher o forno para cozinhar. O crocante também é bem-vindo. Alimentos crus podem ser interessantes no almoço, já que a digestão nesse horário é mais fácil.

Assim como o Vata, as temperaturas escolhidas devem ser quente ou ambiente porque esse Dosha precisa de um esforcinho pra fugir dos frios.

Ossabores(HIPERLINK SABORES) picante (esquenta e mobiliza), amargo (seca) e adstringente (limpa) são indicados. O salgado, que estimula o apetite, e o doce, pesado e rico em carboidratos, só em pouquíssima quantidade.

PITTA

Aqui entra aquela sua amiga atleta que tem um apetite de leão ou você, naquelas fases em que está com os nervos à flor da pele. Pra Ayurveda, essas são características clássicas de Pitta, que sente tudo com mais intensidade.

90% elemento fogo, é de transformação e vida que estamos falando. Esse Dosha é responsável pela nossa empolgação e é ele quem nos dá energia pra mexer os pauzinhos e concretizar qualquer coisa. É aquela sensação de querer (e poder!) engolir o mundo, sabe?

Apesar de fundamental, em desequilíbrio Pitta pode causar estragos: nossos momentos de irritabilidade e explosão também vem daí. E problemas como acne, dor de cabeça e queimação podem surgir. Além disso, qualquer tipo de inflamação está relacionada com esse excesso de fogo.

Digestão em geral não é um problema para esse Dosha: são fases da vida ou perfis de pessoas com o metabolismo acelerado e que podem comer bem sem muita dificuldade. Isso facilita planejar a alimentação – já que já vimos que nosso Agni é premissa para saúde – mas, para controlar um desequilíbrio de Pitta também precisamos dar lá nossos pulinhos, tá?

Os alimentos escolhidos devem ser frescos: vegetais, crus em geral, e muito verde natural entram aqui. Apesar de ser bem digerida por Pitta, carnes são alimentos que geram mais calor, que intensifica todos os comportamentos que citamos aí em cima relacionados à ele, como raiva, competitividade, etc. Então, é melhor consumir em menor quantidade.

Sementes são ricas no elemento éter, que sutiliza e ajuda muito esse perfil.

Temperos mais adocicados são recomendados: noz moscada, canela e erva doce podem ser interessantes.

Os sabores doce, amargo e adstringente acalmam Pitta. Muito cuidado principalmente com picante e salgado, que estimulam em excesso.

A textura deve ser seca e pesada, acalmando essa agitação toda. Alerta aos fritos, que intensificam Pitta.

Pra apagar um pouquinho desse fogo, tudo fresco ou em temperatura ambiente funciona melhor. Lembrando que os gelados não são recomendados pela Ayurveda pra nenhum perfil.

Atenção: café, álcool e tudo que pode gerar estímulo ou vício, característica-chave desse perfil, deve ser evitado.

MAS, QUAL É O MEU DOSHA?

Depois de tanto falarmos sobre os Doshas da Ayurveda você deve estar se perguntando “o que eu sou?” ou “qual é o meu Dosha?”. É, pode ser confuso. Mas, a gente tem uma boa notícia: não é preciso identificar o que você é, mas como você está.

Um especialista sempre pode te ajudar a descobrir o seu Prakriti, combinação de Doshas ao nascer (que aliás, pode ser bem equilibrada entre os 3, viu?). Mas, é o seu estado físico, mental e até espiritual do presente que vai definir o próximo passo – seja de alimentação, rotina ou atitude.

É verdade que identificar a sua composição como essência pode ajudar: o seu desequilíbrio de hoje com certeza é influenciado por isso. Um exemplo simples: imagine uma pessoa naturalmente magra, com ossos finos e longos – um típico Vata. A chance de ela sofrer com ganho de peso, retenção de líquidos ou mesmo letargia mental (típicos de Kapha) é mais baixa. Já uma pessoa que tem o Dosha dominante Kapha sempre vai ter um pouquinho mais de dificuldade para equilibrar estes pontos específicos. E isso vale pra todas as constituições: uma pessoa mais Vata pode ser saudável, mas vai precisar tomar mais cuidado com osteoporose, por exemplo. E Pitta pode levar uma vida calma e tranquila, mas vai precisar de um contexto favorável e talvez com muita meditação para isso.

Mas, se apegar a sua constituição física ou comportamentos pontuais pode não ser tão útil no dia a dia, já que estamos sempre mudando e sofrendo com influências externas.

Para finalizar, olha só que interessante: já parou para pensar que estamos vivendo em uma era super Vata? Excesso de informação, estímulos mentais, ansiedade crônica... mesmo os mais Kapha sofrem com tudo isso. É inevitável. Por isso, a nossa sugestão é essa: se observe no dia de hoje, se conheça hoje e tente viver 100% o presente.

 Golden Mix

 



Leia também

Receita: Bolo de Coco vegano
Receita: Bolo de Coco vegano

janeiro 15, 2021

Estamos vidradas nesse ingrediente que é a cara do verão e faz tão bem pra saúde: o coco!
Leia também
Ayurveda: existe mesmo esse papo de detox?
Ayurveda: existe mesmo esse papo de detox?

janeiro 14, 2021

De acordo com a Ayurveda, ciência ancestral que amamos, o corpo já sabe e já faz o seu próprio detox. Quer saber como?
Leia também
Coco: o alimento queridinho do verão
Coco: o alimento queridinho do verão

janeiro 11, 2021

Vem ver o que a Ayurveda tem a dizer sobre esse superalimento delícia!
Leia também